Notícias

Aula Inaugural Programa Oportunidade Tech - Noite de muita alegria

Selecionados

Eles estão chegando, os iobianos da primeira turma do Programa Oportunidade Tech.
Nesta primeira turma, vamos ter 12 jovens. Eles são de Jabaeté, Barramares, da Grande Terra Vermelha, Guaranhus em Vila Velha. Na Serra, de Feu Rosa e Barcelona. Da Capital, temos estudantes do Bairro da Penha, Bonfim, Santo Antônio e Maria Ortiz. De Cariacica, do bairro Aparecida. Estamos muito animados em poder fazer parte da transformação social destes jovens.

Processo

Seletivo

Evento Gratuito: Faça sua inscrição.

                 Temos uma ótima notícia para vocês

No dia 28 de junho Nathália Rodrigues, conhecida como a Nath Finanças, vai estar em Vitória para um evento gratuito do Instituto Oportunidade Brasil. 

Um pouco de nossa convidada:  Nathália Rodrigues conhecida como a Nath Finanças é empresária, orientadora financeira, administradora e escritora. Aos 23 anos é uma das vozes mais relevantes da atualidade no Brasil quando o assunto é educação financeira fácil, prática e acessível. Há três anos desenvolve e amplia seu projeto de falar com um público diverso, de várias idades. Tem contribuído com conhecimento para quem nunca estudou ou não sabe por onde começar para cuidar de seu dinheiro. O objetivo maior de sua jornada é que todas as pessoas que entrem em contato com seus conteúdos saiam do vermelho e passem a usar o dinheiro da melhor maneira possível, mantendo a saúde mental e financeira.

Primeiro Jantar Beneficente - 05/07/2022

Instituto Oportunidade Brasil convida você para o seu primeiro JANTAR BENEFICENTE.

A Arrecadação do Jantar vai auxiliar na compra de computadores e na profissionalização através de Curso Técnico de Programação de jovens em situação de vulnerabilidade social da grande Vitória.

Teremos um cardápio maravilhoso preparado pelo Chefe Assis, nosso parceiro nesta ação.

 

 

Entradas

Concha de Haddock gratinada.

Carpaccio clássico com pão italiano.

Pratos

Primeiro prato

Lascas de Bacalhau com Penne Gratinado.

Segundo prato

Risoto de Funghi com Tiras de Filé mingon.

Sobremesa

Brownnie com sorvete de creme  e Calda de chocolate.

Bebidas Incluídas

Água ,suco, refrigerante normal e zero.

Handersonchic no IOB

Uma grande felicidade receber o artista Handersonchic. Um cara de bem e do bem, com um coração enorme. Nossa recepção está maravilhosa!

2º Prêmio Mulher

Jovens da grande Vitória em breve vamos abrir o processo seletivo para o programa Equidade Brasil. Acompanhe nossas redes socias.

Promoção da Igualdade Racial

Doe Oportunidades

Uma pequena Ação Muda o Mundo.

Apoie essa causa.

Dia Internacional contra a Discriminação Racial

Celebra-se em 21 de março em referência ao Massacre de Sharpeville, o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial.

Em 21 de março de 1960, em Joanesburgo, na África do Sul, 20 000 pessoas faziam um protesto contra a Lei do Passe, que obrigava a população negra a portar um cartão que continha os locais onde era permitida sua circulação. Porém, mesmo tratando-se de uma manifestação pacífica, a polícia do regime de apartheid abriu fogo sobre a multidão desarmada resultando em 69 mortos e 186 feridos.

 

 

Prêmio Mulheres

Essa semana tivemos a maravilhosa notícia de que a nossa Presidente  Verônica Lopes é finalista do 2ª Prêmio Mulheres, organizado pela ArcelorMittal. Premiação voltada para o empoderamento feminino, que busca identificar e reconhecer mulheres que estejam à frente de negócios, ações e projetos transformadores, que contribuem com os desafios de suas comunidades, sociedade e setor privado.

As propostas foram avaliadas por uma comissão julgadora, considerando os critérios: criatividade, sustentabilidade, impacto, qualidade, clareza e o potencial de transformação.

Foram 297 inscritas 41 classificadas e 37 finalistas.

Mulheres que Inspiram

Relatório Anual 2021

Evento - Ancestralidade: Passado, Presente e Futuro.

27/11 Mucane- Museu Capixaba do Negro.  Evento aberto ao público com restrições de número de participantes devido ao Covid 19. Um debate rico com profissionais atuantes na área do direito, jornalismo e educação

25 de Julho - DIA INTERNACIONAL DA MULHER NEGRA, LATINO-AMERICANA E CARIBENHA.

A voz de minha bisavó
ecoou criança
nos porões do navio.
Ecoou lamentos
de uma infância perdida.

A voz de minha avó
ecoou obediência
aos brancos-donos de tudo.

A voz de minha mãe
ecoou baixinho revolta
no fundo das cozinhas alheias
debaixo das trouxas
roupagens sujas dos brancos
pelo caminho empoeirado
rumo à favela

A minha voz ainda
ecoa versos perplexos
com rimas de sangue e fome.

 

A voz de minha filha
recolhe todas as nossas vozes
recolhe em si
as vozes mudas caladas
engasgadas nas gargantas.

 

A voz de minha filha
recolhe em si
a fala e o ato.
O ontem – o hoje – o agora.
Na voz de minha filha
se fará ouvir a ressonância
O eco da vida-liberdade.

E depois do 14 de maio de 1888?

E depois do 14 de Maio de 1888?

13 de maio foi homologada a Lei Áurea, que determinou a liberdade para os povos negros. Depois de quase 4 séculos de escravidão.

De acordo com Fernandes (1965) o liberto se viu convertido, sumária e abruptamente, em senhor de si, tornando-se responsável por sua pessoa e por seus dependentes, embora não dispusesse de meios materiais e morais para realizar essa proeza nos quadros de uma economia competitiva.

Muitos também não sabiam ler, devido a Lei n.º 01, de 14 de janeiro de 1837: “São proibidos de frequentar as escolas públicas… os escravos e os pretos africanos, ainda que sejam livres ou libertos”. O que dificultava ainda mais suas realidades.

Alguns africanos retornaram a África, outros ex-escravos sem ter para onde ir, continuavam nas fazendas que sempre trabalharam e outros não conseguiam sair das fazendas que sempre trabalharam, pois, seus antigos senhores não deixaram.

133 anos depois ainda vivemos às consequências de termos ficado a margem da sociedade. Um estudo da OCDE (2018) aponta que os mais pobres podem levar até 9 gerações para atingir renda média no Brasil. Já se passaram 4,5 gerações depois de 13 de maio de 1888, e uma grande parte da população negra ainda vive em situação de vulnerabilidade econômica e social.

Continuaremos batalhando pelos nossos direitos, lutando por nossos espaços, mesmo com barreiras e adversidades que enfrentamos a vários séculos, assim persistiremos!

 

 

Ser negro ajuda neste momento!

Hoje passando pela rua vi um outdoor divulgando o curso de mestrado, de uma renomada instituição, com uma modelo negra. Nesta instituição o mestrado custa, para além dos valores que a grande maioria da população negra pode custear, acima de R$2.000,00.

Empresas, lojas, revistas e marcas cada vez mais usam modelos negros na divulgação de seus produtos, serviços e marcas. Isso é bom, as oportunidades para modelos negros estão melhores. Sim, isso é positivo.

Mas, o que questiono, é se as empresas “querem” parecer inclusivas, ou, realmente estão sendo inclusivas?

A população negra tem condições de fazer o mestrado daquela instituição? O modelo negro como gestor no comercial, mostrando os resultados da empresa, é reflexo do quadro de colaboradores, que tem na empresa? A loja tem a modelo negra em seus catálogos e site, mas, tem colaboradores negros na loja da grife?

Esta e outras questões nos impactam cotidianamente, é muito bonito colocar o negro na vitrine, porém, muitas vezes nem dentro do recinto ele pode estar!

A representação é importante, sim, queremos modelos negros. Mas, queremos mais ainda, que a representatividade esteja dentro das empresas, e não seja apenas uma jogada de marketing.

 

Fiquemos atentos, nem tudo que há negros é inclusão.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email